Vereador Carpê é acusado de usar amigo para enganar concursados da PM; veja mensagens

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Uma denúncia que chegou à nossa redação com prints e áudios na tarde desta quarta-feira (23), na qual acusa o vereador Carpê Andrade (Republicanos) de usar grupos de WhatsApp e um segurança particular, identificado como Paulo Machida, para enganar aprovados e classificados do concurso da Polícia Militar, na tentativa de conseguir votos nas últimas eleições.

De acordo com a denúncia, os classificados e aprovados eram colocados em seis grupos e induzidos a compartilhar, comentar e turbinar os engajamentos do parlamentar, que prometia em troca agilizar o processo de chamada desses candidatos para a PM.

Carpê teve 21.183 votos. Áudios e textos atribuídos a Machida reclamam das postagens terem apenas “600 comentários”, quando na verdade teriam de ter milhares.

Sem nenhuma autorização do Governo do Amazonas, o jogo consistia em votar no vereador para deputado estadual e depois ver “o milagre acontecer”. Ao mesmo tempo, de acordo com os áudios, os aprovadores e classificados teriam de comentar e elogiar as postagens do parlamentar, que ainda prometia lutar pelo aumento de vagas.

Ao mesmo tempo, Carpê ainda usava o grupo para divulgar projetos do candidato Eduardo Braga e mandava Machida, administrador dos grupos, retirar  pessoas que falavam no candidato Péricles, que foi quem realmente pediu o aumento do número de vagas no concurso.

Veja os prints de Machida no grupo:

 

Leia Também