Presente de grego: Amazonino deixou R$ 52,9 milhões em dívidas para Wilson Lima assumir

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Dados do Portal da Transparência apontam que o ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes (Cidadania), deixou de pagar R$ 52,9 milhões em 2018, último ano de seu mandato tampão, e o saldo devedor caiu nas mãos de seu sucessor, Wilson Lima (União Brasil). Com o valor, seria possível manter por um ano, por exemplo, o Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, na Zona Leste de Manaus, que na mesma época custou aos cofres públicos R$ 44,37 milhões.

O ex-governador e candidato ao governo do Estado tem criticado constantemente a saúde no Amazonas, mas deixou um “presente de grego” no setor para Wilson quitar. Sendo que, no mesmo ano, deixou de pagar R$ 1,52,8 milhões à Bringel Medical Distribuidora de Medicamentos, por contratos voltados à prestação de serviços odontológicos em unidades móveis e consultórios instalados nos Centros Estaduais de Tempo Integral – CETI´s. Logo em seguida, a empresa foi investigada na operação Manaus Caminhos.

Ainda segundo as informações do Portal da Transparência, em 2018 os pagamentos para funcionamento da máquina pública somaram R$15,94 bilhões, o equivalente a 90% dos R$ 17,9 bilhões arrecadados pelo Executivo. Os R$15,94 bilhões pagos são fruto da soma dos pagamentos de contratos executados em 2018 e de pagamentos de dívidas de exercício anterior.

A maior parte que faltava pagar, cerca de R$48,12 milhões, foram registrados na pasta da Educação, ou, mais de 90%, segundo o Transparência. Eles incluem serviços de conservação e limpeza, seleção e treinamento, informática, obras de reforma e ampliação, consultoria e projetos, transporte e logística, e até serviços essenciais, como uma energia elétrica, já que R$ 11,9 milhões ficaram pendentes junto à Amazonas Energia.

Leia Também