Rachadinha: Justiça determina quebra de sigilos de Carlos Bolsonaro e pessoas ligadas ao gabinete dele

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A Justiça do Rio de Janeiro quebrou os sigilos bancário e fiscal do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na investigação que apura a suposta prática da “rachadinha” no gabinete do parlamentar.

Outras 26 pessoas também tiveram os sigilos quebrados, entre elas três chefes de gabinete do vereador: Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro; Guilherme Henrique de Siqueira Hudson, primo de Ana Cristina; e Jorge Luiz Fernandes, que ocupa o cargo atualmente.No pedido de quebra de sigilo, o Ministério Público do Rio de Janeiro divide os assessores e ex-assessores do gabinete de Carlos Bolsonaro em seis núcleos. Veja os nomes dos investigados que tiveram o sigilo quebrado:

Carlos Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle (mãe de Carlos), André Luis Procópio Siqueira Valle (irmão de Ana Cristina), Gilmar Marques (ex-cunhado de Ana Cristina), Andrea Siqueira Valle (Irmã de Ana Cristina), Marta da Silva Valle (cunhada de Ana Cristina), Guilherme Henrique de Siqueira Hudson (primo de Ana Cristina), Ananda Priscila Mendonça de Menezes Hudson (esposa de Guilherme Hudson), Monique de Carvalho Moreira Hudson (cunhada de Guilherme Hudson), Cileide Barbosa Mendes (babá do 1º filho de Ana Cristina), Adriana Teixeira da Silva Machado (sócia de Ana Cristina), Luci Teixeira da Silva (mãe de Adriana), Edir Barbosa Góes (exerce cargo comissionado no gabinete de Carlos Bolsonaro desde 2008), Neula de Carvalho Góes (esposa de Edir), Rodrigo de Carvalho Góes (filho de Edir e Neula), Rafael de Carvalho Góes (tinha cargo comissionado no gabinete de Carlos Bolsonaro), Nadir Barbosa Góes (irmã de Edir), Leila de Carvalho Lino (irmã de Neula), Diva da Cruz Martins (exerceu cargo comissionado no gabinete de Carlos Bolsonaro), Andrea Cristina da Cruz Martins (filha de Diva), Márcio da Silva Gerbatim (exerceu cargo comissionado no gabinete de Carlos Bolsonaro), Claudionor Gerbatim de Lima (sobrinho de Márcio), José Luiz Fernandes (atual chefe de gabinete de Carlos Bolsonaro), Regina Célia Sobral Fernandes (esposa de José Luiz), Juciara da Conceição Raimundo da Cunha (trabalhou no gabinete de Carlos Bolsonaro), José Carlos de Macedo Duarte (trabalhou no gabinete de Carlos Bolsonaro entre 2001 e 2003) e Noélia de Macedo Duarte (irmã de José Carlos).

Todos os investigados trabalharam, ou trabalham até hoje no gabinete de Carlos Bolsonaro.               

Leia Também