Pai é preso por violentar sexualmente e ameaçar as filhas, de 6 e 8 anos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
As crianças se expressaram por meio de desenhos feitos em um caderno. Foi a avó materna quem descobriu os desenhos e alertou a mãe.

Um homem, de 28 anos, foi preso após as duas filhas, de 6 e 8 anos, revelarem sofrer violência sexual por parte dele. A denúncia foi feita através de desenhos feitos em um caderno. Neles as crianças fizeram bonecos com cunho sexual pedindo ajuda.

O caso aconteceu em canoas (RS). Segundo a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, as crianças vinham sendo abusadas sexualmente e constantemente ameaçadas pelo próprio pai. O homem dizia às meninas que continuaria machucando-as caso elas contassem a alguém sobre as violências.

De acordo com as informações, a avó materna das vítimas havia presenteado as netas com um caderno, e começou a perceber que elas faziam desenhos com cunho precocemente sexual. Ao conversar com a mãe das garotas, ambas tinham mudado o comportamento nos últimos tempos, ficando agressivas, irritadiças e chorando com facilidade.

Diante disto, a mãe recebeu orientação para levar as filhas a um atendimento especializado, e desta forma descobriram, através dos desenhos, que ambas estavam sendo estupradas pelo pai. Além disso, foram descobertas também as ameaças por parte do homem para manter os abusos em segredo.

Após a constatação, a mãe foi até uma delegacia e fez a denúncia. Conforme a polícia, o pai chegou a enforcar a filha mais nova e a ameaçar de morte em uma ocasião.

A Polícia Civil representou a prisão preventiva do pai das vítimas, e o Poder Judiciário decretou a medida. Dessa forma, o homem foi imediatamente preso, para preservar a integridade física e psíquica das meninas.

Dias terríveis

Enquanto eram abusadas, as irmãs viveram um verdadeiro pesadelo dentro da própria casa. A pequena de seis anos contou que em um dos episódios de abuso, ouviu a irmã mais velha chorando e implorando ao pai que parasse com aquilo. No entanto, ele seguiu com os atos cruéis contra a menina.

Ela também confidenciou que notou que o homem possuía muito nojo de urina, e que quando percebia que ia ficar sozinha com o pai em casa, se urinava propositalmente para que ele não a atacasse.

Leia Também