Gerente é preso suspeito de desviar R$ 1,8 milhão de instituição financeira em Manaus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Lucas Franklin de Souza Coelho, de 22 anos, foi preso na manhã desta terça-feira (22), durante mandato de busca e apreensão, pela Polícia Civil, na casa dele. O indivíduo é gerente de uma instituição financeira da capital e está sendo investigado por desviar R$ 1,8 milhão.

A ação policial ocorreu no bairro Armando Mendes, zona leste de Manaus. Na ocasião também foram apreendidos um veículo modelo HB20, notebooks e aparelhos celulares, que foram enviados à perícia.

De acordo com o delegado Aldeney Goes, titular da DERFV, as diligências em torno do caso iniciaram após representantes da instituição financeira comparecerem à Especializada para denunciar o crime. Na ocasião, foi relatado que dois indivíduos foram até a agência bancária, ocasião em que foram atendidos por Lucas, que era gerente financeiro da instituição, que habilitou no celular de um dos indivíduos, uma senha que permitia que eles transferissem a quantia de R$ 1,8 milhão para contas diversas.

“Na ocasião do crime, na agência bancária, foi constatada uma movimentação atípica, e de imediato a ação foi bloqueada. Os representantes vieram à delegacia e formalizaram a denúncia e solicitaram a instauração de um Inquérito Policial (IPL), momento em que iniciamos as investigações a fim de elucidar o caso”, explicou o delegado.

Segundo a autoridade policial, foi solicitado à Justiça pelos mandados de busca e apreensão e de prisão temporária em nome do autor, e as ordens judiciais foram expedidas no dia 16 de junho, pela juíza Careen Aguiar Fernandes, da Central de Inquéritos.

O titular da DERFV informou ainda que outros indivíduos, que também possuem participação no crime, já estão sendo investigados pelas equipes da DERFV.

Procedimentos – Lucas Franklin responderá pelos crimes de estelionato e associação criminosa. Após os procedimentos cabíveis, ele será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Leia Também