Estelionatária se passa por herdeira milionária e aplica golpes de mais de R$ 10 milhões em empresários

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Ela se apresenta às vítimas como herdeira de R$ 38 milhões para convencê-las na venda de aviões, além de conseguir empréstimos.

Uma mulher, identificada como Otaciane Coelho foi presa nessa terça-feira (21) suspeita de praticar crime de estelionato tenda como vítimas dois empresários de ramo de avião. Para enganar as vítimas, ela se passava por uma herdeira milionária e empresária.

A prisão de Otaciane foi feita em um apartamento de luxo onde ela morava, no Centro de Belém (PA). De acordo com a polícia, a mulher é considerada uma das maiores estelionatárias do estado e já fez vítimas em outros três municípios do Pará. No golpe aplicado nos empresários da aviação o prejuízo chegou a R$1,6 milhão, porém, o valor total dos golpes pode chegar a R$10 milhões.

A polícia chegou até a criminosa após os dois empresários denunciarem o golpe. Segundo eles, ela havia oferecido uma aeronave para eles e após receber a quantia de R$1,6 milhão, desapareceu e o avião nunca foi entregue.

De acordo com o delegado titular da Divisão de Investigações e Operações Especiais, Neyvaldo Silva, o que mais chama atenção é o poder de persuasão da suspeita. “Ela se dizia empresária, foram diversas vítimas lesadas pelo poder de convencimento dela, inclusive pessoas de padrão intelectual muito alto”, revelou a autoridade policial.

Persuasão para enganar as vítimas

De acordo com as vítimas, Otaciane se empenhava para convencer de que era dona de uma fortuna. A estelionatária contava com uma produção “cinematográfica”, na qual chegava a contratar empresas de segurança para se passar por uma autoridade.

‘Ela tinha muito dinheiro. Dizia que era fazendeira, dona de supermercado, dona de grupo de farmácias e dona de imóveis. Ela dizia que ia receber uma herança de R$ 38 milhões e precisava de dinheiro adiantado para, inclusive, dar uma espécie de propina aos desembargadores — para dar fluência e andamento a este processo”, alega Elson Soares, advogado de uma das vítimas.

A suspeita é que haja mais envolvidos no golpe. O delegado informou que Otaciane cometia crimes de estelionato em Altamira, onde atuava com mais frequência; Belém; Benevides; e Porto de Moz, cidade onde nasceu. De acordo com as investigações, ela também aplicou golpes em cartórios de valores que chegam a R$ 800 mil.O destino dado ao dinheiro que ela conseguiu também é investigado. averiguando”, afirmou o delegado.

Ela se apresenta com aparência diferente em cada local onde ia aplicar os golpes – Foto: Divulgação/ PC

Leia Também