Ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Desmond Tutu, morre aos 90 anos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Primeiro arcebispo negro da Cidade do Cabo, Tutu era amigo de Nelson Mandela e foi uma das vozes mais ativas na luta contra o apartheid e a favor a igualdade.

O arcebispo emérito sul-africano Desmond Tutu, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1984 por sua luta não violenta contra o apartheid (sistema legislativo que segregava pessoas negras na África do Sul), morreu neste domingo (26), aos 90 anos de idade. A informação foi confirmada pela presidência da África do Sul.

O ativista foi diagnosticado com câncer de próstata no final dos anos 1990 e desde então, passou por diversas hospitalizações relacionadas ao tratamento da doença. Em redes sociais, o presidente da África do Sul, Cyril Ramphosa afirmou que Tutu era “um patriota sem igual”.

“Rezamos para que a alma do arcebispo Tutu descanse em paz, mas que seu espírito fique de guarda e vigie o futuro de nossa nação”, afirmou o presidente em redes sociais.

Após o fim do apartheid, o arcebispo Desmond Tutu foi nomeado presidente da Comissão da Verdade e Reconciliação da África do Sul, que se propunha a investigar e punir crimes cometidos durante o período de segregação racial.

Tutu e seu amigo de longa data, Nelson Mandela, viveram por muito tempo na mesma rua na cidade sul-africana de Soweto, o que tornou a vizinhança a única no mundo a abrigar dois vencedores do Prêmio Nobel da Paz.

“Sua qualidade mais característica é a prontidão em tomar posições impopulares sem nenhum medo. Tal independência de pensamento é vital para o sucesso da democracia”, afirmou Mandela sobre o amigo.

Leia Também