Delegação paralímpica brasileira fica isolada no Japão após confirmação de dois casos de Covid-19

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Após 1º caso de Covid-19 registrado entre os representantes do Brasil nos Jogos Paralímpicos, 52 pessoas entre atletas e comissão técnica brasileira estão isolados no Japão e proibidos de treinar antes do início dos jogos, previsto para iniciar dia 24 de agosto.

Em nota, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) critica o isolamento do grupo e diz que a conduta colide com o que preconiza o “Playbook” dos Jogos de Tóquio-2020, conforme versão enviada ao CPB em 15 julho último. “É permitido aos atletas que mantiveram “contato próximo” treinar, igualmente em isolamento, e até mesmo competir nos Jogos de Tóquio”, diz o texto.

Conforme o CPB, a prática já teria sido aplicada, por exemplo, com atletas olímpicos da África do Sul, da Rússia e da Itália durante os Jogos Olímpicos de Tóquio. “Apesar dos esforços do governo brasileiro, não encontramos respaldo por parte das autoridades locais.” A entidade reitera ainda que segue na tentativa de obter a autorização de treinamento para os referidos atletas e possibilitar a melhor participação brasileira no maior evento do ciclo paralímpico.

Entre os que estão isolados, ninguém poderá deixar as dependências dos quartos do hotel. O isolamento ocorre na cidade de Hamamatsu, onde os representantes do Brasil fazem aclimatação para o início da competição. O local fica a cerca de 250 km de Tóquio. E não há atletas de outras delegações nas proximidades.

De acordo com Metrópoles, aproximadamente 130 representantes do Brasil já desembarcaram no Japão para a competição. São representantes da natação, tênis de mesa, goalball e halterofilismo, além de membros da comissão técnica, médica e administrativa. Ao todo, a missão brasileira contará com 431 pessoas, sendo 253 atletas representando o país em 20 modalidades.

Leia Também