David Almeida decreta estado de calamidade pública e famílias voltam para buscar os pertences

Facebook
Twitter
WhatsApp

O prefeito de Manaus, David Almeida, anunciou, na manhã desta segunda-feira, 13/3, que vai decretar estado de calamidade pública em razão das fortes chuvas que atingiram a cidade de Manaus no último domingo, 12. O anúncio ocorreu durante intensificação dos trabalhos de resgate às vítimas soterradas na rua Pinto D’Água, bairro Jorge Teixeira, zona Leste da capital amazonense.

ADVERTISEMENT

O desmoronamento do barranco no Jorge Teixeira ocorreu em uma área de risco e atingiu aproximadamente 11 casas, que ficavam na parte de baixo do barranco. Oito corpos foram localizados no local do soterramento e três pessoas foram resgatadas com vida. Nesta parte da cidade, foram 96 milímetros de chuva, muito acima da média.

“Nós já temos contratos para essas ações e para facilitar o repasse de recursos federais, eu vou decretar calamidade pública. Inclusive, estava com o secretário nacional de Defesa Civil conversando sobre isso, e nós estaremos amanhã com o presidente (da República) levando todo o levantamento dessas áreas e do que aconteceu no dia de ontem. Já levo o decreto em mãos para o governo federal. Com isso, agiliza a tramitação da liberação de recursos”, informou Almeida.

Na ocasião, o chefe do Executivo municipal destacou ainda que a prefeitura segue em ritmo acelerado dando assistência às famílias afetadas.

“Estamos desde a madrugada aqui. Temos 74 pessoas abrigadas em uma igreja e logo serão transferidas para uma escola na rua Topázio. Nós estamos pagando o Auxílio Aluguel para todos os moradores, vamos fazer a distribuição de cestas, colchões e auxiliar naquilo que for preciso. Nós vamos iniciar os trabalhos de cima para baixo, para que possamos resolver o problema”, assegurou o prefeito.

Ainda na noite de domingo, as secretarias municipais de Segurança Pública e Defesa Social (Semseg), de Infraestrutura (Seminf),  Assistência Social (Semasc) e de Limpeza Urbana (Semulsp) e Corpo de Bombeiros iniciaram junto com os moradores, uma força-tarefa para tentar encontrar sobreviventes. A Semasc deu abrigo às famílias de casas próximas ao local do deslizamento.

A Prefeitura de Manaus, por meio do Centro de Cooperação da Cidade (CCC), registrou mais de 120 ocorrências de Defesa Civil e Trânsito por toda a cidade durante o domingo. Uma operação conjunta foi feita para atender os bairros mais afetados da capital amazonense.

Famílias voltam ao local da tragédia

Na manhã desta segunda-feira (13), as famílias atingidas pela tragédia retornaram ao local em busca dos pertences que restaram. Segundo informação do Corpo de Bombeiros, mais de 70 pessoas moram naquela área de risco.

Geladeiras, camas, e alguns eletrodomésticos conseguiram ser resgatados e estão no meio da rua. O solo continua encharcado e o Corpo de Bombeiros informou que ainda não pode usar escavadeiras ou equipamentos mais pesados para a remoção da terra.

Conforme a Defesa Civil, há chances de chover novamente em Manaus.

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!