PM que teve a mão decepada após intervir em briga diz que não se arrepende; casal está junto

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O policial reformado Leandro Percivalli Nascimento, de 37 anos, que teve a mão decepada ao intervir uma briga de casal, no último final de semana, em Brasília, disse que não se arrepende do que fez. Ele foi criticado nas redes sociais porque mesmo correndo o risco de vida, a mulher agredida foi embora com o agressor assim que eles viram a gravidade do ferimento do policial.

“Eu sou policial militar, tenho esse instinto de agir. Ela estava gritando, a primeira coisa que pensei foi em ajudar. Vi que ele não estava armado (com revólver), mas não vi o facão. E aí fui no impulso. Peguei a chave, olhei para o cara e fui neutralizar o risco”, disse Leandro.

O policial também destacou que apenas fez o que acha ser o certo. “Eu posso ter tido uma experiência traumática, mas não vou deixar isso fazer parar de querer fazer a diferença no mundo”, explicou.

O agressor foi identificado como Mateus, de 24 anos, e ele ainda está foragido. O golpe acertou o policial após ele colocar a mão na frente para se defender. “Ele (Mateus) entrou no carro e ainda tentou me atropelar. Depois fugiu com a mulher que ele estava ameaçando de morte minutos antes. Eu quero que os dois paguem, porque ela fugiu com ele como cúmplice”, pediu Leandro.

Apesar do desfecho trágico, o policial conta que agora vai tentar reaprender a viver e seguir em frente. Dono de um restaurante, ele diz que cozinhava, lavava e atendia os clientes. Nas redes sociais, ele publicou um desabafo e agradeceu as palavras de conforto, apesar das críticas recebidas.

Leia Também