Primeiro restaurante popular do interior, Prato Cheio é inaugurado em Manacapuru

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Governador Wilson Lima abriu as portas do novo projeto que oferece diariamente refeições ao valor simbólico de R$ 1.

Com o objetivo de garantir a segurança alimentar e nutricional da população, o governador do Amazonas, Wilson Lima, inaugurou, nesta quinta-feira (02/12), o Prato Cheio, em Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus). É o primeiro de 20 restaurantes populares que serão implantados no interior, até o final de 2022, para atender a população em situação de pobreza. A próxima inauguração será em Autazes, no dia 18 de dezembro.

O restaurante integra a política estadual de combate à fome do Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam). No local, a refeição será vendida ao preço simbólico de R$ 1, mediante cadastro social e compra de senha, a partir das 8h. Serão servidos 400 almoços por dia, ou seja, 2 mil por semana (segunda a sexta-feira, do meio-dia às 14h), totalizando 8 mil refeições/mês.

“Hoje nós estamos começando uma série de inaugurações de restaurantes pelo interior do Amazonas. Esse vai funcionar para atender as pessoas com mais necessidades, para garantir segurança alimentar. Aqui o prato estará a R$ 1. E nós vamos, até o final de 2022, inaugurar 20, nós vamos ter 20 Pratos Cheios no interior do estado do Amazonas”, disse Wilson Lima, ao anunciar que o próximo Prato Cheio será inaugurado dia 18 de dezembro, em Autazes.

Localizado na rua Quintino Bocaiuva, 1.288, Centro, o Prato Cheio de Manacapuru recebeu o nome de Luiz Rodrigues da Mota, que foi prefeito do município e presidente da Câmara de Vereadores da cidade por dois mandatos, falecido em 2017.

Além de Manacapuru, outras cidades que contarão com o restaurante popular são Parintins, Itacoatiara, Tefé, Autazes, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga.

Direito humano à alimentação adequada

De acordo com a Gerência de Ações Descentralizadas de Segurança Alimentar e Nutricional (Gadsan/Seas), o restaurante popular Prato Cheio de Manacapuru tem como público prioritário pessoas em situação de vulnerabilidade social, desempregados e trabalhadores informais.

A dona de casa Maria Hyda de Seixas, 37, foi uma das primeiras a receber atendimento nesta quinta-feira, em Manacapuru, e garantir o almoço a R$ 1. Mãe de oito filhos, ela está desempregada.

“Não é todo dia que a gente tem o que comer. Com R$ 1 a gente vai conseguir. Eu tinha feito meu cadastro anteriormente, aí eu só fiz confirmar, me deram a senha e mandaram eu sentar. Eu agradeço muito pelo que ele (governador) está fazendo pelo nosso município. Vai fazer diferença”, afirmou.

Leia Também