Donos da ‘Falcone Suplementos’ são denunciados por trabalho análogo à escravidão

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Os funcionários são obrigados a trabalhar mais de 10 horas por dia e são demitidos quando pedem folga aos proprietários.

A redação do Estado de Amazonas recebeu denúncias de que os funcionários da loja “Falcone Suplementos” estão sendo obrigados a trabalhar cerca de 10 horas por dia, sem direito a folgas semanais. A loja famosa por “vender saúde” e que tem como donos os irmãos José Franco Falcone Filho e Felipe Lustosa Falcone está indo contra a ideologia de “qualidade de vida”, deixando os trabalhadores doentes.

De forma autoritária e arbitrária, os empresários obrigam os funcionários a trabalharem em sistema análogo à escravidão, sem direito nem mesmo de pedir um direito de todo trabalhador brasileiro, que é a folga semanal.

Quando alguns dos trabalhadores chegam a falar com um dos donos sobre o assunto, logo são desligados da empresa, que cresce a cada dia e já tem três lojas, sendo uma no Vieiralves, que é considerado um bairro nobre e com diversos estabelecimentos que atendem a classe A de Manaus. As outras lojas são em um shopping da cidade e na “estrada dos franceses”, também conhecida pelos vários comércios naquela área.

Sem direitos

A reclamação dos funcionários é de que, por dia, eles trabalham 10 horas ou até mesmo mais e que essas horas não são pagas como horas extras, ou colocadas em banco de horas para que sejam gozadas em forma de folga.

Eles também não estão tendo direito a folga semanal, que é obrigatória por Lei. Os funcionários precisam ainda “se conformar” com tudo isso, pois se cobram os direitos, são desligados da empresa.

A redação do portal Estado do Amazonas tentou contato com os proprietários da Falcone Suprimentos, mas não obteve resposta.

Leia Também