Publicidade

Turista diz que carro foi depredado na Cachoeira do Mutum e suposto autor debocha: ‘Esperto’; vídeo

Facebook
Twitter
WhatsApp

Um dia na Cachoeira do Mutum, uma das mais famosas reservas particulares em Presidente Figueiredo, no KM 54, na estrada de Balbina, terminou em confusão neste domingo (17). Ao voltar do passeio, um turista denunciou que o carro dele estava depredado e com os vidros quebrados e que o próprio proprietário do local assumiu ter feito aquilo.

ADVERTISEMENT

O turista não identificado aparece filmando o veículo. Ele diz que chegou ao local e não encontrou nenhuma placa com informações a respeito da entrada, nem sobre valores. “Passei por essa porteira, não tinha ninguém cobrando, não tinha ninguém parando, não tem aviso de quanto custa. Passei e esse camarada tava aqui, não falou nada, ninguém me parou, fui embora”, inicia o homem, mostrando o suposto autor.

Segundo ele, como ninguém o chamou ou fez nenhuma cobrança, ele partiu para o passeio, achando que depois seria cobrado, mas na volta teve a infeliz surpresa de ver o veículo detonado. O turista disse ainda que o homem que aparece nas imagens permanecia no mesmo local, sentado, e foi questionado sobre o ocorrido.

“E ele acabou de me dizer que foi ele que quebrou e tava me esperando voltar pra me chamar de ‘esperto’. Disse que não precisa de turista assim. Porque você quebrou meu vidro? Disse que eu não ia pagar”, denunciou o turista.

O homem que seria o proprietário do local, identificado apenas como “Odilon”, afirma que o chamou de “esperto” e que não pagaria pelo conserto. “Você passou sem pagar”, justificou.

Não foi informado se o caso foi registrado em alguma delegacia da cidade. Na página do local na internet é informado que o acesso por pessoa até a cachoeira é de R$ 25 e automóvel, R$ 20. É informado ainda que caso não deseje pagar a taxa do seu veículo, estará liberada entrada a pé, sendo cobrada apenas taxa individual deixando o carro sem custo na entrada do ramal.

O dono do carro, no entanto, mostrou que no local não havia essas informações e que estava disposto a pagar pela entrada no retorno, desde que o informassem.

Veja o vídeo aqui

 

 

 

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!