Telessaúde e parcerias privadas são propostas de Daniel Almeida para diminuir fila do SUS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O candidato a deputado estadual Daniel Almeida quer ajudar a diminuir o cansaço e o desespero de quem aguarda por um atendimento na fila do Sistema Único de Saúde (SUS). Caso eleito a uma vaga na Assembleia Legislativa, o candidato com o número 70070 quer trabalhar ao lado do Governador para ajudar na implantação da Telessaúde e buscar parcerias com Hospitais particulares.

A proposta do candidato, se eleito, é prestar serviços de saúde a distância, realizados com a ajuda das tecnologias da informação e de comunicação (TICs).

Para Daniel, esse formato poderá dar maior agilidade e eficiência nos atendimentos e diagnósticos. A parceria com a gestão privada das unidades de saúde também visa diminuir as demandas reprimidas, principalmente do interior do estado.

“Todos vimos que a pandemia deixou milhares de desempregados no atendimento público, depois que perderam o plano de saúde. A fila do SUS é desesperadora para as famílias que ali esperam um atendimento. Já vi pessoas esperarem mais de um ano por um atendimento. A telessaúde vai ajudar em casos menos complexos aliada a parcerias privadas. Todo o Amazonas precisa de uma saúde melhor”, explicou Daniel.

Saúde mental

O aumento dos casos de ansiedade, depressão e suicídio no Amazonas estão recebendo atenção do candidato Daniel Almeida. Dentro da proposta de trabalho do candidato com o número 70070, emendas para a construção de Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) em Manaus e nas cidades polos do interior são projetos em uma possível eleição.

“A ideia é termos equipes multidisciplinares compostas por psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e pedagogos para estruturar o atendimento ambulatorial e familiar, em Manaus e no interior. A saúde em todos os segmentos é importante, mas a saúde mental precisa de total atenção. Existem milhares de crianças, jovens, adultos e até a terceira idade precisando de atendimento. O momento é de unir esforços e combater esse mal do século, chamado depressão”, afirmou.

Leia Também