Suspeito de matar mulher em ponto de ônibus não pode ser preso em flagrante, diz delegado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O suspeito de atropelado e matado Andréa Trindade Pinheiro, de 46 anos, em uma parada de ônibus na avenida Coronel Teixeira, no Santo Agostinho, Zona Oeste de Manaus, foi identificado nesta terça-feira (27).

O acidente aconteceu na última segunda-feira (26) enquanto a vítima estava indo trabalhar, acompanhada do marido, Edson Reis. Na ocasião, ele também ficou ferido.

Segundo o delegado Temistocles Alencar, titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (Deat), o dono do veículo Toyota Hilux, de placa PHE-6182, de cor preta, é Adauto do Carmo Santos Junior, no entanto, quem conduzia o carro no momento do acidente era seu filho, que ainda não se apresentou na delegacia e não teve o nome revelado.

De acordo com o delegado, o suspeito não pode mais ser preso em flagrante, porque ele fugiu do local do crime, mas as investigações continuam para saber a causa do acidente.  Alencar ainda desabafa sobre não poder fazer mais nesse caso.

“Que fato grave e triste! Mas eu vou me reportar a todos os outros. Infelizmente, eu fico decepcionado em não poder fazer muita coisa porque a própria lei nos impede. Eu sempre digo a todos os familiares que vem, que nós não fazemos as leis, nós só a cumprimos. E na minha concepção essas coisas estimulam, porque a impunidade quando chega ao conhecimento dos autores deixa eles mais folgados para a prática do crime”, disse o delegado em entrevista à uma emissora local.

O delegado ainda informou que 90% dos casos em que o indivíduo foge do local do acidente sem prestar socorro é porque tinha algum indício desses atos: embriaguez, excesso de velocidade ou falta de habilitação. Quando a pessoa é autuada em flagrante, a pena é mais alta.

Leia Também