Sinepe Amazonas recomenda reforço nas escolas privadas e deve se reunir com secretaria de educação

Facebook
Twitter
WhatsApp

O Sindicato das Escolas Particulares do Amazonas, Sinepe-AM, se manifestou na noite desta segunda-feira (10) após o ataque ocorrido na escola Adventista, em Manaus, onde um aluno de 12 anos atacou vários colegas e deu cinco facadas em uma menina. A medida veio após a criação do Núcleo de Inteligência e Segurança Escolar (Nise), da Secretaria de Educação do Amazonas.

ADVERTISEMENT

O sindicato emitiu uma nota recomendando reforço na segurança das escolas privadas. “Considerando a escalada de violência em face de Instituição de Ensino vivenciada nos últimos dias em nosso País, o Sinepe-AM está participando de reuniões estratégicas para tratativas de novos procedimentos e protocolos de segurança para as Escolas Associadas”, iniciou.

Entre as nove recomendações apontadas pelo sindicato, destacam-se o reforço externo e interno de segurança, uso de detectores de metais, punições severas com alunos, pais, professores e demais colaboradores que forem identificados usando objetos perfurocortantes, armas e simulacros, entre outros.

A manifestação do Sinepe se deu após a secretária de educação do Estado, Kuka Chaves, informar que uma reunião com o sindicato será realizada para estudar a melhor estratégia para a segurança no ambiente estudantil, tanto privada quanto municipal ou estadual.

“Nós queremos explicar todo o plano de ação e monitoramento que foi montado pela Seduc com as outras secretarias, no combate a esse tipo de ação”, explicou a secretária.

Veja as recomendações:

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!