EXEMPLO: Cinco mulheres da mesma família passam em concurso público para professores indígenas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Olha que história massa! Cinco mulheres da mesma família foram aprovadas em um concurso público para aturar como professoras indígenas em Boa Vista. “Antes, ainda não havia ‘caído a ficha’ porque existiam várias fases. Quando vi a homologação, chorei de felicidade”, contou a indígena Juciléia Teixeira, que é uma das sete mulheres da família que atuam no magistério.

Ela conta como foram os dias de preparação. “Assisti a várias aulas virtuais, o que me ajudou bastante com macetes e na redação. Mas no aulão pensei, Senhor, estou aqui porque quero mudar a minha vida, não quero ser apenas seletivada”, detalhou.

Juciléia diz ter sido uma grande alegria para todos, pois dessa vez cinco pessoas da mesma família passaram no concurso.  “Sinto-me preparada para assumir o cargo”, afirmou. O ensino diferenciado, explicou, está relacionado à cultura indígena. “A Geografia e a História estarão voltadas para a nossa realidade, são conhecimentos presentes na nossa comunidade que precisam ser repassados para as nossas crianças”, explicou.

Mávera Teixeira também foi aprovada e será professora de História no município de Uiramutã. Ela é sobrinha de Juciléia.

“Isso representa muito para nós, enquanto mulheres, que fazemos parte da sociedade civil, mas principalmente para a mulher indígena porque muitas sempre vão para cidade para estudar e as dificuldades são enormes”, disse, acrescentando que passar no concurso mostra a força do renascer, de se reconstruir na sociedade. “Muitas de nós estão invisíveis para essa sociedade. As lideranças buscaram o desenvolvimento social do nosso povo, e nós, como fruto dessa vitória, vamos retornar com essa educação específica e diferenciada”, finalizou.

Leia Também