Governo de Santa Catarina desobriga o uso de máscaras em crianças e adolescentes nas escolas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
A decisão foi criticada por pediatras da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBI). "Não se ganha nada com isso".

Uma decisão do Governo de Santa Catarina pode colocar em risco a vida de milhares de crianças. Nesta quarta-feira (3), o governo deverá publicar um decreto desobrigando o uso de máscaras para crianças e adolescentes do ambiente escolar. A decisão foi criticada por pediatras da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBI).

De acordo com o pediatra Renato Kfouri, a medida pode prejudicar a saúde e até o andamento das aulas presenciais. “Deveria ser a última medida a ser flexibilizada. Não se ganha nada com isso”, destacou.

A decisão foi tomada durante uma reunião realizada nesta quarta entre o governador do Estado, Carlos Moisés (sem partido), técnicos da secretaria da Saúde e o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro. Segundo o decreto, a partir de agora os responsáveis pelas crianças deverão ter a decisão da utilização das máscaras nas unidades de ensino.

A avaliação do governo estadual é que existe condições para a liberação por conta da redução nos casos graves da Covid-19.

Casos graves em crianças

Segundo informações do Sivep-Gripe, plataforma do Ministério da Saúde que reúne dados sobre os casos da Covid-19 no País, em 2020, 10.356 crianças entre zero e 11 anos foram notificadas com o problema, das quais 722 evoluíram para óbito. Em 2021, o total de notificações subiu ainda mais e atingiu 12.921 ocorrências da síndrome respiratória na mesma faixa etária, com 727 mortes. No total, são 23.277 casos de SRAG por Covid-19 e 1.449 mortes desde o início da epidemia até dezembro de 2021. 

Entre as crianças de cinco a 11 anos, houve 2.978 casos de SRAG por Covid-19, resultando em 156 mortes. E em 2021, já foram registrados 3.185 casos nessa faixa etária, com 145 mortes, totalizando 6.163 casos e 301 mortes desde o início da epidemia. Esses números representam uma incidência de 29,96 casos e 1,46 óbito a cada 100 mil habitantes nessa faixa etária. 

A Covid-19 tem como sintomas tosse, coriza, obstrução nasal, febre e pode evoluir para um quadro de insuficiência grave, que pode exigir internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Leia Também