Professores fazem campanha por reajuste de salários no Amazonas e em todo o Brasil

Facebook
Twitter
WhatsApp

O novo piso nacional dos professores reajustado em janeiro passado pelo Ministério da Educação (MEC) segue mobilizando a categoria em vários estados. No Amazonas também há mobilização.

Em Recife, os alunos da rede municipal de Educação acordaram nesta quinta-feira (30) sem aulas. Mais de 9 mil educadores decidiram paralisar as atividades de maneira imediata.

Na última rodada de negociações entre o sindicato e a prefeitura, foi proposto aos professores o pagamento de 7,5%, com aplicação para toda a carreira, a partir do mês de março; e outros 7,45% em forma de abono, a partir de julho, o que não foi aceito pela categoria, que defende o reajuste integral de 14,95%.

No Maranhão, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e municipais decidiu suspender a greve iniciada em 27 de fevereiro. Isso após o Tribunal de Justiça maranhense decretar, por unanimidade, a ilegalidade do movimento, que reivindicava um reajuste salarial de 14,95%, percentual dado pelo MEC na portaria de janeiro passado.

A categoria aceitou a proposta da Secretaria Estadual de Educação de 11%, dividido em duas parcelas, além do cumprimento das progressões e titulações para os educadores, que ficou acordado em reunião junto ao Ministério Público do Maranhão, o Sindicato e a Secretaria.

No Rio Grande do Norte, também motivados pelo cumprimento do reajuste integral do piso nacional para ativos e aposentados, além de outras coisas, os professores da Rede Pública do Estado continuam sem data para encerrar a paralisação.

AMAZONAS

No Amazonas a luta é a mesma, com protestos, reivindicações e pedidos em todo o estado. Neste sábado tem reunião para professores e educadores da Semed:

ATENÇÃO PROFESSORES E PEDAGOGOS DA SEMED/MANAUS!
CAMPANHA SALARIAL!
DATA-BASE EM 1° DE MAIO DE 2023.
ASSEMBLEIA GERAL PARA APROVAÇÃO DA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES !
NESTE SÁBADO, 01/04/23, AS 8:30H.
SE AGENDE E NÃO FALTE!
VAI RECOMEÇAR A LUTA!
A LUTA CONTINUA!
A DIRETORIA.
PREFEITOS DO INTERIOR 

A Associação dos Municípios do Amazonas (AAM). De acordo com a entidade, aumento definido pelo MEC está acima do esperado e não há receita prevista para o pagamento.

“Os municípios não terão condições de cumprir”, enfatizou a associação. “Os municípios não irão cumprir a determinação sem o governo ampliar os repasses”, diz a entidade.

SEMED

Enquanto os municípios do interior do Amazonas dizem não ter condições, a Prefeitura de Manaus, capital do Amazonas, informou que paga R$ 4.686,06, ou seja, valor superior ao novo piso do MEC.

“A data-base dos profissionais da educação pública de Manaus, referente ao período de 2021/2022, teve o reajuste de 12,47%, com isso, chegou a 40,13%, valor acima do Piso Salarial Profissional Nacional para os Profissionais do Magistério Público da Educação Básica”, afirmou a Secretaria Municipal de Educação (Semed)

SEDUC

O Governo do Amazonas, Wilson Lima, informou que o piso da rede estadual de ensino do estado também é superior ao valor anunciado pelo MEC. “É de R$4.749,22, chegando a R$5.416,42 com o acréscimo dos auxílios alimentação e transporte recebidos pelos profissionais da educação”, afirmou a Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc-AM).

ADVERTISEMENT

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!