Prefeito destrói o celular a tiros ao saber que era alvo de investigação; ele alegou ter vídeos com a esposa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Durante a operação “Eu amo Oriximiná”, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o prefeito da cidade, Delegado Fonseca (PRTB) tomou uma atitude inusitada: ele disparou tiros no próprio celular, que era alvo de mandado de busca e apreensão, alegando que havia vídeos íntimos dele com a esposa.

Segundo a Gaeco, ele era o principal alvo da operação, que investiga fraudes em licitações. Na última terça-feira (29), os agentes foram até a residência dele cumprir um mandado quando Fonseca correu e se trancou no quarto.

Em seguida, ele atirou contra o próprio aparelho, destruindo qualquer prova que pudesse ter. Ele foi preso e levado para a delegacia, onde falou novamente que havia vários vídeos sexuais dele com a esposa e por isso tomou a atitude drástica.

O prefeito Delegado Fonseca foi preso pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, disparo ilegal de arma de fogo, ameaça de morte, desobediência, destruição de provas e resistência.

Leia Também