William Alemão descumpre promessa de campanha e vota a favor de aumento de quase 100% do ‘cotão’

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Durante campanha, William Alemão tinha como uma das grandes promessas criar um projeto para diminuir os gastos por gabinete, que segundo ele eram desnecessários. Hoje ele se cala diante do aumento do cotão.

No último dia 15 de dezembro, último dia de sessão da Câmara Municipal de Manaus (CMM), os vereadores aprovaram o Projeto de Lei (PL), de autoria da Mesa Diretora da Câmara, que prevê o aumento de quase 100% do cotão, que passará de R$ 18 mil para R$ 33 mil.

Tal feito ganhou espaço na imprensa local e nacional, com destaque para Jornal Nacional que divulgou o aumento exorbitante de 84% sem justificativa plausível. Diante disto, o Comitê do Amazonas de Combate à Corrupção ingressou na última segunda-feira (20) junto ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) com uma representação contra o presidente da CMM, vereador Davi Reis (Avante).

De acordo com a entidade, a CMM agiu contra o princípio da moralidade da administração principalmente por não levar em consideração o momento social, econômico e sanitário que o País vive devido à pandemia da Covid-19.

Votação

Dos 41 parlamentares, apenas quatro deles se posicionaram contra o aumento, são eles: Amom Mandel (sem partido), Raiff Matos (DC), Carpê Andrade (Republicanos) e Rodrigo Guedes (PSC). E o que chamou a atenção foi o voto do vereador William Alemão (Cidadania), que durante a campanha eleitoral tinha como uma das maiores promessas combater este tipo de “regalia” que segundo ele, deveria ser reduzido a 50% por um projeto que ele tinha para reduzir estes gastos.

“Tem um projeto de lei que eu quero aprovar. Sabe que projeto é esse? Baixar em 50% o valor da verba de gabinete do vereador. Porque cada vereador recebe R$ 60 mil reais por mês e tem direito a 40 assessores. Bora botar R$ 30 mil nisso e 20 assessores no máximo”, disse o parlamentar em um vídeo divulgado em suas redes sociais na época das eleições.

Porém até agora o vereador William Alemão não apresentou nenhum projeto para diminuir os gastos, nem mesmo reduzir a quantidade de assessores por gabinete, que segundo ele durante campanha deveria ser de no máximo 20. Porém, atualmente o vereador possui 24 assessores.

Questionado sobre o aumento no “Cotão” e na quantidade de assessores por gabinete, Alemão parece que comeu abiu, pois desde que o escândalo veio à tona, ele não se pronunciou mais sobre o assunto.

Cotão

O “Cotão”, como popularmente conhecido, é a chamada Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP). É uma quantia disponibilizada para gastos com combustível, aluguel de veículos, material gráfico dos vereadores.

Além do Cotão, a CMM ainda aprovou um aumento na quantidade máxima de assessores por vereador para 45.

Leia Também