Lula compara ditadura de Ortega, na Nicarágua, à democracia de Merkel, na Alemanha

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Pegou mal! Após a repercussão negativa das falas de Lula, o Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou uma nota na qual diz que o ex-presidente não apoia ditaduras.

Na última segunda-feira (22), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) minimizou a ditadura de Daniel Ortega, na Nicarágua e comparou o tempo do ditador no poder com o da chanceler alemã Angela Merkel, na Alemanha. As declarações foram feita em entrevista ao jornal El País.

“Temos que defender a autodeterminação dos povos. Sabe, eu não posso ficar torcendo. Por que que a Angela Merkel pode ficar 16 anos no poder e Daniel Ortega não?”, disse Lula.

Diante da declaração de Lula, profissionais da imprensa presentes questionaram sobre Daniel ter mandado prender opositores a ele no período em que esteve no poder.

Lula, então, moderou o discurso: “Eu não posso julgar o que aconteceu na Nicarágua. No Brasil, eu fui preso. Fiquei 580 dias preso para que o Bolsonaro fosse eleito presidente. Eu não sei o que as pessoas fizeram [na Nicarágua] para que fossem presas. Se o Daniel Ortega prendeu a oposição, como fizeram comigo no Brasil, ele estará totalmente errado”.

Após a entrevista as falas do petista repercutiram negativamente. Diante disto, nessa terça-feira (23), o PT divulgou uma nota na qual considerou “falso e de má-fé” as afirmações da imprensa de que Lula teria apoiado ditaduras de esquerda.

“As campanhas de difamação contra o presidente Lula , tirando suas falas de contextos, das formas mais inacreditáveis, seguem firmes! Desta vez não foi diferente, uma fala de Lula em defesa de pautas como o respeito a soberania dos países, alternância de poder e com críticas à perseguição de opositores virou, na boca da grande mídia, apoio à ditaduras”, divulgou o partido em suas redes sociais oficiais.

Leia Também