Delegado Pablo ataca MPF e PF por perseguição política

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O deputado federal do Amazonas, Delegado Pablo, foi inocentado no processo que apura vazamento de informações da operação Estado de Emergência, deflagrada pela Polícia Federal, em 2018. Segundo o deputado, as denúncias contra ele e a familiares eram infundadas, apesar de haver outras investigações que ligam o nome dele a outros crimes.

Sobre a investigação a qual ele foi inocentado, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), justificou que na época da denúncia havia uma “rixa política” dentro da Polícia Federal e a situação piorou quando Pablo anunciou que seria pré-candidato as eleições para deputado federal. Na ocasião, Pablo era delegado da instituição.

Diante disso e do fato de o STJ concluir que não existiam provas que ligassem Pablo ao vazamento de informações, o deputado federal foi inocentado.

A decisão pelo arquivamento do processo foi publicada na terça-feira (31), no site do STJ, e inocentou Pablo das acusações feitas pelo Ministério Público Federal (MPF).

O deputado comentou a decisão e disse que sempre confiou na Justiça e que vai responsabilizar as pessoas que tentaram prejudicá-lo. “Aqueles que tentaram macular minha imagem e a de minha família serão responsabilizados. A justiça está sendo feita”, diz Pablo.

Outras investigações

Apesar de ter sido inocentado, esta não é a única denúncia na qual o Delegado Pablo está envolvido. Em 2020, a PF deflagrou uma operação para investigar possíveis práticas de crimes como corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro e um dos alvos, na época, era o deputado.

Além de Pablo, dois familiares dele também foram alvo das investigações.

Leia Também