Policial Militar é acusado por investigadora da PC de dar pauladas nas nádegas das oficiais

Facebook
Twitter
WhatsApp

Uma investigadora de polícia compartilhou fotos toda machucada em suas redes sociais e disse que isso foi resultado de um treinamento desumano recebido na Polícia Civil.

ADVERTISEMENT

A oficial que não terá o nome revelado, diz que ela e mais 21 colegas sofreram o mesmo tipo de agressão. Segundo a policial feminina, são usadas ripas de madeira para machucar as nádegas das mulheres.

O caso aconteceu no mês de junho no Maranhão, e segue em investigação. O agressor seria um instrutor da Polícia Militar do Tocantins, que dava um curso para  mulheres militares de Pernambuco, Maranhão, Paraná, Rio Grande do Norte e Piauí.

“A agressão dói na hora, mas o que fica é a dor psicológica. Dói e te move a fazer o que estou fazendo. Não tem sido fácil. Eu saí do curso, mas o curso não saiu de mim até hoje. Estou em tratamento (terapêutico)”, afirma.

Ela conto como tudo aconteceu. “Estava em outra parte quando vi aquele cara louco falando ‘Roubaram minha pizza’, ‘São loucas’. Ele colocou todo mundo em posição de flexão e desceu a paulada em todas, na bunda. Tinha 22 comigo”, explica.

De acordo com a denunciante, ocorreu uma segunda agressão quando ele mandou as oficiais saírem da sala e elas demoraram. “Ele mandou voltar porque achava que a gente estava retardando. Lá tudo é corrido. Ele botou a gente em posição de flexão de novo, eu e mais três, e desceu a paulada de novo. Mas, dessa vez, foi com mais ódio, tanto que gritei de dor. Não consegui (ficar calada)”, diz.

A Secretaria de Segurança investiga o caso e afirma que não compactua com esse tipo de conduta..

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!