Trio que matou mulher por não concordar com o crime é preso com armas e drogas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
A vítima tinha 20 anos e confrontava os traficantes da comunidade Buritis por não concordar com o crime. Ela foi assassinada na frente do filho.

Policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), prendeu nesta quinta-feira (3) o trio envolvido na morte de Raylene Araújo Souza, que tinha 20 anos. O crime ocorreu no sábado (26/02), por volta das 19h, na comunidade Buritis, bairro Nova Cidade, zona norte da capital.

De acordo com a polícia, a jovem foi morta porque não concordava com as regras dos traficantes. No dia do crime, a jovem estava indo até a casa de sua mãe na comunidade Buritis, momento em que foi abordada pelos criminosos, que pediram que ela baixasse o farol e o vidro do veículo para entrar no local.

“Após essa abordagem, a vítima passou a espalhar que tinha colegas policiais e que ia pedir uma ronda para coibir crimes, pelo fato de não concordar com as regras para adentrar na comunidade. Além disso, pelos infratores também cobrarem uma taxa de R$ 80 para que os moradores pudessem ter acesso a serviços básicos, como água e energia elétrica”, relatou Ricardo Cunha.

Ainda conforme o titular da DEHS, tendo em vista isso, no sábado (26/02), os criminosos invadiram a casa da mãe de Raylene e a executaram, na presença de seu filho de colo, com três disparos de arma de fogo que atingiram a região da cabeça. Ela não resistiu aos ferimentos e foi a óbito no local.

Devid Ribeiro Correa, 19, Henrique Ferreira Vasconcelos, 25, e Vitor José Paulino, 62, foram presos após investigação da Polícia Civil. As investigações apontaram que Vítor José foi o mandante do fato criminoso, já Devid e Henrique os executores.

No momento das prisões ainda foram apreendidas em posse dos criminosos, duas armas de fogo, munições, substâncias entorpecentes e balança de precisão.

O trio irá responder por homicídio e associação criminosa e será conduzido à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Material apreendido com os suspeitos – Foto: Divulgação/ PCAM

Leia Também