Sobrevivente do ataque à viatura da PC teve o braço destroçado e tinha participado do massacre no Compaj

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Patrick continua internado em uma unidade hospitalar da cidade. Os outros dois companheiros dele morrem ainda nessa quinta-feira (6) após o ataque criminoso.

O único preso sobrevivente ao ataque ocorrido na tarde da última quinta-feira (6), em que uma viatura da Polícia Civil do Amazonas (PCAM) foi fuzilada nas proximidades do Fórum de Justiça Ministro Henoch Reis continua internado recebendo cuidados médicos em uma unidade hospitalar de Manaus.

Patrick Regis de Sena foi alvejado com os disparos feitos com fuzil 556 e teve o braço completamente destroçado. Ele foi o primeiro a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) após o ataque e gritava de dor enquanto era removido do camburão da viatura. O estado de saúde dele não foi divulgado.

Segundo a polícia, Patrick estava dentro do presídio e foi um dos principais acusados de participar da execução de 56 detentos durante o massacre do Compaj, em janeiro de 2017. Em sua ficha criminal, ele possuía três mandados de prisão: um por roubo e dois referentes ao massacre do Compaj, de homicídio qualificado e vilipêndio de cadáver.

Além de Patrick, dois companheiros dele também foram fuzilados. Um deles, Matheus Danilo Barros Dias, o “Percatinha”, morreu na hora ao ter a cabeça, costas e nádegas atingidas. O outro, Antônio Marlon Silva dos Santos, morreu ao ser transferido do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto para o Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio.

O trio estava em uma viatura da PC a caminho de uma audiência de custódia, quando o veículo foi fuzilado por bandidos, que em seguida fugiram do local. Uma investigadora que também estava na viatura foi atingida com um tiro de raspão e passa bem.

De acordo com a polícia, o trio havia sido preso na noite anterior quando se preparavam para executar rivais no Prosamim do Mestre Chico, na zona Sul da capital. Eles foram detidos por uma equipe da Polícia Militar e levados para o 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP). A polícia acredita que o ataque tenha sido uma retaliação dos rivais que eram alvo do trio.

Força Tarefa

Logo após o atentado, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) iniciou um trabalho conjunto entre as policiais civil e militar e em pouco tempo dois carros utilizados pelos bandidos foram encontrados abandonados em locais diferentes da cidade. Dentro dos veículos haviam munições de fuzil 556.

No fim da tarde, uma das equipes de segurança do Amazonas conseguiu identificar e prender um homem identificado como Level de Feitas Vilhena, de 27 anos, em uma área de mata nas proximidades da rodovia AM010, no momento que tentava fugir do município de Manaus.

Equipes da PC e PM continuam trabalhando para tentar chegar aos outros criminosos envolvidos no ataque.

Leia Também