Professor morre após ter 60% do corpo queimado em Manaus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

MANAUS-AM| Na noite da última terça-feira (23), o professor da rede pública estadual Gabriel Moisés de Souza Neto, de 38 anos, morreu no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul de Manaus, onde estava internado há quase 10 dias, depois de ter sofrido queimaduras em 60% do corpo, após uma discussão com a companheira.

No boletim de ocorrência consta que a briga de casal ocorreu no dia no dia 13 de junho. A esposa de Gabriel disse que no dia da briga, ele estava alterado e alcoolizado e durante a discussão, o marido teria sido vítima de um ‘acidente ou suicídio’.

Em depoimento, a mulher afirmou que se trancou em um quarto do imóvel e gritou por ajuda a vizinhos. No momento em que os moradores chegaram, Gabriel gritava e chutava a porta do cômodo, entretanto, mesmo assim, a esposa do professor decidiu correr para fora da casa e avistou Souza segurando um frasco de limpador de tanque de moto e um isqueiro. Em seguida, ele subiu em sua motocicleta e acabou jogando gasolina em seu corpo.

Os moradores da área se juntaram e tentaram socorrer a vítima, jogando panos e água para apagar as chamas, uma delas encontrou um extintor de incêndio e apagou o fogo na moto. Inclusive, ele foi levado ao hospital no carro de uma das testemunhas. Nesta terça, ele não resistiu aos ferimentos.

As circunstâncias do caso ainda não foram confirmadas pela Polícia Civil. A própria Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), informou que o caso foi registrado como Homicídio, mas que as investigações irão ajudar a elucidar o caso

Leia Também