Preso há três dias, vigilante volta atrás e diz que não matou Silvanilde, servidora do TRT

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Nesta sexta-feira (3) a defesa do vigilante Caio Claudino revelou que o cliente não matou a funcionária do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) Silvanilde Ferreira Veiga, de 58 anos. Segundo o advogado Samarona Gomes, o seu cliente revelou que nunca entrou no apartamento da vítima. O suspeito até então confesso, está preso deste a última-quarta-feira (1º) no Centro de Detenção Provisório Masculino (CDP 1).

De acordo com o suspeito para a defesa, no momento da prisão ele estava sob efeito de droga e abalado e acabou confessando ser o autor do crime, mas agora, já fora do efeito da droga, tem a certeza de que não foi ele quem matou Silvanilde e que nunca entrou no apartamento dela.

De acordo com o portal A Crítica, Samarone, disse que ainda não teve acesso ao inquérito e nem as peças da prisão temporária, pois as investigações estão sob sigilo de justiça. Ele já requereu o acesso aos autos do processo e aguarda a liberação para poder traçar e entender a metodologia do crime, tomando posteriormente as medidas que forem necessárias.

Leia Também