Polícia Federal combate garimpo ilegal e crimes ambientais em Jutaí; prefeito é um dos alvos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Desde as primeiras horas desta quarta-feira (20), a Polícia Federal está em operação contra o garimpo ilegal e crimes ambientais em Jutaí, no Amazonas. A operação III cumpre 10 mandados de busca e apreensão e 10 medidas cautelares. Entre os alvos estão o prefeito do município, Pedro Macario Barboza, o Pedrinho (PDT), secretários e assessores municipais.

Conforme a PF, eles são suspeitos de cobrar propina de garimpeiros, o que deve resultar no afastamento de Macario do cargo.

A terceira fase da operação ocorreu em Jutaí e em Manaus. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em endereços de investigados na cidade, que fica no sudoeste do Amazonas. Na capital, a operação ocorreu em um condomínio onde o prefeito tem uma casa.

Já entre as medidas cautelares está o afastamento do cargo e de funções públicas, de acesso à prefeitura de Jutaí, além da cassação de autorizações de garimpos de minério ilegal. Pedrinho é suspeito de chefiar um esquema que usa a Prefeitura de Jutaí e secretarias para cobrar propina de garimpeiros que atuam ilegalmente na região. Conforme as investigações, os valores eram pagos em ouro ou dinheiro em espécie. Em novembro do ano passado, o prefeito chegou a ser preso com 257 gramas de ouro ilegal.

De acordo com as informações, os alvos da operação também cobravam propina dos donos de postos que vendiam os combustíveis para as dragas usadas em garimpos na região. O pagamento garantiria que a prefeitura fizesse vista grossa para a prática ilegal.

Leia Também