Pistoleiro de facção criminosa é preso suspeito de pelo menos 8 mortes no Amazonas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Deyves matava os alvos para conseguir ascensão dentro da facção criminosa. Além de matar, ele ainda filmava alguns desses crimes.

Um homem apontado como um dos maiores pistoleiros da facção criminosa Comando Vermelho (CV), identificado como Deyves de Jesus Ramos, de 19 anos, foi preso no último domingo (31), no município de Itacoatiara (a 270 quilômetros de Manaus).

Deyves é suspeito de ter cometido pelo menos oito homicídios no Amazonas em 2021, todos eles marcados por muita crueldade a alguns deles, inclusive com imagens das execuções. Destes crimes, ele confessou sete. Todas as mortes tem ligação com a briga entre facções por domínio de território do Estado.

“Ele é destacado para essas execuções que vêm do Rio de Janeiro (…). Ele praticou 3 homicídios no centro da cidade, 2 homicídios que foram gravados e amplamente divulgados, que foi o da “Andrezinha”, juntamente com dois comparsas da organização dela. Ela sofreu mais de 12 disparos na região da cabeça, foi com muita violência. Teve a participação também em um homicídio de um traficante alcunhado por “Pai” e a participação no homicídio da Elisângela, que era esposa do traficante chamado “Ney Pitbull, que foi no Rio Preto da Eva”, detalhou o delegado da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ricardo Cunha.

Almejava destaque dentro da facção

Ainda de acordo com o delegado, Deyves não recebia quantias em dinheiro pelas execuções. Ele os fazia em busca de ascensão dentro da facção. As ordens sobre quem deveria morrer vinham sempre do Rio de Janeiro, de narcotraficantes foragidos de Manaus e que são líderes do CV.

Em alguns crimes, ele fez questão de filmar as mortes, como no caso de Andreza Santos da Silva, 20, conhecida como ‘Pérola Eduarda Nora’, que teve a execução gravada por Devys. A jovem foi morta com múltiplas fraturas no pescoço e na face em decorrência de vários disparos de arma de fogo. O caso ocorreu no bairro Novo Aleixo, Zona Norte de Manaus. Apesar de ter confessado sete execuções, o suspeito continua sendo investigado por outras mortes também.

Prisão

De acordo com o delegado Ricardo Cunha, a prisão de Deyves ocorreu após os policiais receberem denuncias informando que ele estaria no município de Itacoatiara. Ainda segundo a denúncia, o suspeito andava livremente nas ruas da cidade, sem temer ser preso.

Após contato com a delegacia do município, os policiais civis montaram uma operação para capturar o suspeito. Ao ser preso, o jovem disse que foi para Itacoatiara após saber que estava sendo investigado em Manaus.

Leia Também