PC pede à Justiça prisão de dono de funerária suspeito de atirar em sócia, em Manaus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A polícia Civil pediu à Justiça a prisão preventiva do empresário Antônio Ildemar Coutinho, dono da Funerária Canaã. Ele é o principal suspeito pela dupla tentativa de homicídio contra a sua sócia e um funcionário dela, ocorrido na frente da própria funerária, na rua Major Gabriel.O crime ocorreu na noite do dia 19 de julho.

Na ocasião, o empresário afirmou que atirou em legítima defesa por achar que seria vítima de assalto, já que o veículo com as vítimas estaria no local desde cedo. Ele também chegou a afirmar que o funcionário da sócia dele estava armado e por isso ele teria reagido. 

Na delegacia, a mulher disse que estava no local para acompanhar o cumprimento de um mandado de busca e apreensão de um veículo que eles disputavam na Justiça.

A sócia de Antônio foi baleada nas pernas e o funcionário dela, que a acompanhava no local, foi atingido com um tiro no tórax.

O pedido de prisão foi representado pelo delegado Marcelo Martins, do 24° Distrito Integrado de Polícia (DIP), mas aguarda manifestação do Ministério Público do Estado para ser analisado pelo juiz.

Leia Também