Mulher trans é morta violentamente e família acredita que o motivo seja transfobia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Uma mulher trans identificada como Chrimilly Pérola, mais conhecida como Bombom ou Piu-Piu, foi morta com um tiro, nesta segunda-feira (5), na comuniade Beira Rio, na Várzea, Zona Oeste do Recife. A família da cabeleireira acredita que o crime tenha sido por transfobia (quando há preconceito contra que se identifica como transgênero). As informações são do G1.

De acordo com o perito criminal Diego Nunes, do Grupo Especializado de Perícias em Homicídios (GEPH), do DHPP, o corpo foi encontrado às margens do Rio Capibaribe.

“A vítima tinha um disparo provocado por arma de fogo na mão que trasfixou e atingiu o pescoço. Ela estava usando um short jeans e um short, não tinha nenhum sinal de violência sexual”, destacou.

Segundo a família, ela havia saído de casa, onde morava com a família perto do local, a noite, dizendo que iria para a casa de amigos.

Prima da cabeleireira, Jennnifer Matos, 25, contou que ela tinha sido vítima de transfobia recentemente e chegou a ser hospitalizada porque fraturou um dos braços. A família acredita que a motivação foi a mesma.

“Foi há um mês, em uma briga na Várzea também. Atentaram contra a vida dela. E o motivo pelo que a gente sabe foi transfobia. Ela contava a mãe que sempre sofria xingamentos no meio da rua, sempre tinha isso. A gente espera que a polícia investigue e identifique os culpados. Ela era uma pessoa muito querida”, disse.

Leia Também