Mulher é presa por mandar matar marido e enteada que mantinham relação incestuosa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Foi o namorado da enteada quem alertou a mulher sobre a traição e juntos, eles planejaram a morte de pai e filha.

Uma mulher, identificada como Maria Aparecida Barroso, de 36 anos, foi presa nessa segunda-feira (27), apontada pela polícia como mandante da tentativa de homicídio do marido dela e da enteada. O motivo do crime seria por ela ter descoberto que pai e filha mantinham relacionamento amoroso.

O fato ocorreu no município de Canindé (CE). O relacionamento incestuoso veio à tona após o namorado da enteada da suspeita, descobrir o relacionamento dos dois e falar para ela sobre o caso. Ele também teria participado do crime.

O marido da suspeita, identificado como Jaelson Oliveira, de 39 anos, mantinha relacionamento com a filha, de 20 anos. Pai e filha foram baleados na frente da casa onde moravam, no dia 29 de junho deste ano. Após o crime os dois foram socorridos e levados para uma unidade hospitalar da cidade, onde ela passou por procedimentos médicos e recebeu alta. Já o pai permanece internado.

Investigação

De acordo com a Polícia Civil, Maria Aparecida planejou o crime e contratou duas pessoas para executarem. Durante as investigações a polícia chegou a dois criminosos que haviam sido contratados para matar pai e filha.

Os dois suspeitos, um homem de 20 e um adolescente de 17 anos, foram detidos e confessaram o crime. Eles deram detalhes sobre o duplo homicídio para o qual foram contratados.

Ainda segundo a polícia, o namorado da jovem de 20 anos foi quem entrou em contato com os atiradores, juntamente com a ajuda da esposa traída.

Em sua defesa, a mulher disse que ao saber a traição começou a receber ameaças do próprio marido e que por muitas vezes pensou em tirar a própria vida. Foi então que teve a ideia de planejar a morte de ambos. Para isso, ela pagou R$3 mil para os atiradores. Todos foram preso envolvidos foram.

Leia Também