Mãe do menino baleado no Novo Aleixo afirma que o tiro foi feito por um policial: “o senhor atirou no meu filho”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Segundo ela, o filho brincada dentro do pátio da casa quando o policial militar desceu o pego atirando e acabou atingindo o menino.

A mãe da criança de 10 anos que foi baleada no pulmão durante uma ocorrência policial em um beco da comunidade Buriti, no bairro Novo Aleixo, zona Norte da cidade, afirmou que o tiro que atingiu o filho foi disparado por um policial militar. O fato ocorreu na noite dessa segunda-feira (28).

De acordo com a mãe do menino, Juliana Miranda dos Santos, o filho estava brincando no pátio da casa com os irmãos, quando o policial desceu o beco atirando na direção da casa dela. Ela conta que viu tudo acontecer.

“Na hora que o policial desceu o beco, ele parou e disparou o tiro. Nisso, o disparo pegou no meu filho. Estávamos todos em casa, ele estava brincando e caiu, ai eu fui ajudá-lo. Comecei a gritar para o policial e falei ‘o senhor atirou no meu filho’ e ele foi embora correndo. Meu filho estava ensanguentado e eu comecei a pedir ajuda para o policial, mas ele foi embora”, lembrou a mãe.

Logo depois ela conta que levou o filho para o Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Leste/ Joãozinho, onde o menino permanece internado. O estado de saúde dele é estável, porém, ele corre risco de que o lugar por onde a bala passou apodreça e neste caso, terá que passar por cirurgia.

“Como o tiro atravessou o pulmão dele, o pulmãozinho está todo queimado. Mas a situação dele é estável, só que ele tem que ficar em observação, pois caso vier a apodrecer onde a bala passou, ele pode passar por uma cirurgia”, revelou a mãe do menino.

Justiça

Segundo a mãe do menino, Juliana, o maior desejo é que seja feita a justiça pelo filho. Ela questiona o porquê do policial ter disparado, pois só havia crianças no pátio da casa dela.

“Eu quero justiça pelo meu filho. Esse policial não tinha como descer atirando porque não tinha ninguém, só tinham as crianças brincando. E esse único tiro que ele deu pegou no meu filho, que agora está internado no Joãozinho”, desabafou ela.

Juliana ainda chegou a ir ao quartel para identificar o policial e relatar o que tinha acontecido, mas foi orientada a procurar a corregedoria da Polícia Militar do Amazonas.

O que diz a polícia

Por meio de nota, a Polícia Militar do Amazonas (PMAM) afirmou que está investigando as circunstâncias da ocorrência. Eles irão verificar se a arma que atingiu o menor era uma de calibre 40, usada pela corporação.

Veja a nota na íntegra

A Polícia Militar do Amazonas informa que vai apurar as circunstâncias da ocorrência, se realmente a munição que alvejou o menor partiu de arma cal.40 utilizada pela Corporação, e que os policiais militares serão identificados e ouvidos, para apresentar sua ampla defesa. O Comando da Instituição esclarece também que não compactua com nenhum desvio que comprometa e ponha em risco a integridade do cidadão, e se comprovada a má conduta, os policiais serão submetidos a procedimento disciplinar”.

Leia Também