Justiça libera acesso a dados sigilosos do celular de Elizabeth Valeiko no caso Alejandro Valeiko

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A ex-primeira dama de Manaus, Elizabeth Valeiko, sofreu uma dura derrota na Justiça esta semana, nas investigações que apuram o assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues. O juiz Celso de Paula, da  1ª Vara do Tribunal do Júri de Manaus, liberou acesso dos conteúdos dos celulares da esposa de Arthur Neto e do genro dela, Igor Ferreira. São três aparelhos.

Caberá ao setor de inteligência do Ministério da Justiça a extrair e compartilhar com o MP-AM (Ministério Público do Amazonas) o conteúdo. Flávio Rodrigues dos Santos foi morto dentro da casa da ex-primeira dama, onde rolava uma festa patrocinada pelo filho dela.

Alejandro Valeiko. Elizeu da Paz, Mayc Vinícius Parede, Paola Valeiko e José Edvandro Júnior foram indiciados nas investigações. A defesa tenta impedir que os dados sejam compartilhados.

No pedido, o promotor de Justiça José Augusto Palheta Taveira Júnior disse que o objeitov é “dar celeridade de acesso aos dados extraídos para subsidiar as investigações que envolvam crimes complexos”.

Após ter acesso ao conteúdo, o material vai para o Laboratório de Tecnologia do Ministério Público onde será produzido um documento oficial para inclusão no processo.

Flávio Rodrigues foi encontrado morto no dia 30 de setembro de 2019, um dia após a festa na casa da primeira dama, evento regrado a drogas e bebida na noite anterior.

Câmeras do Condomínio Passaredo, na zona oeste de Manaus, mostram Elizeu da Paz e Mayc Parede levando o corpo de Flavio Rodrigues no Corolla a serviço da Prefeitura de Manaus.

Leia Também