Filha da diretora do TRT assassinada achou que a mãe havia sofrido um AVC

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A nutricionista Sthephanie Veiga, filha da servidora federal do Tribunal Regional do Trabalho no Amazonas, Silvanilde Ferreira Veiga, de 58 anos, contou para a TV Norte, afiliada do SBT, que quando encontrou a mãe achou que ela havia sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico, e só depois de algum tempo foi entendendo o que aconteceu de fato conforme a chegada da polícia.

“Achei que ela tivesse tido uma hemorragia e caído no chão. Quando cheguei lá, ela já estava no chão, com muito sangue em volta, daquele jeito. Eu não sei o que aconteceu, quem entrou”, explicou a nutricionista.

Silvanilde foi encontrada morta dentro do apartamento de luxo onde morava no bairro Ponta Negra, em Manaus, no último sábado. Segundo a filha, antes da tragédia, a mãe enviou uma mensagem de socorro pelo celular, o que fez Sthephanie voltar ao imóvel.

Ao ver o corpo da mãe, ela pediu ao sindico do prédio as imagens de segurança para descobrir quem havia matado a mãe. Porém, o pedido foi negado naquele momento.

Nesta quarta-feira, a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) recolheu os HDs das câmeras de vigilância do condomínio. O caso segue em sigilo.

Leia Também