Duas toneladas de drogas, fuzis e granadas são apreendidos em operação no Amazonas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
A operação foi deflagrada na comunidade Cuieiras, que fica nas proximidades de Novo Airão. Quatro pessoas foram presas.

Duas toneladas de drogas, entre cocaína e maconha, além de fuzis, granadas e munições foram apreendidos durante a operação “Refino”, que foi realizada pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) entre o último domingo (7) e esta sexta-feira (12). Quatro pessoas também foram presas suspeitas de integrarem uma facção criminosa que atua no Amazonas.

A operação contou com o apoio do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), Delegacia Fluvial (Deflu) e Polícia Federal (PF). Durante a operação, que foi deflagrada na comunidade Cuieras, e em uma ilha localizada no Rio Negro, nas proximidades do município de Novo Airão (distante 115 quilômetros da capital), quatro homens de 26, 31, 38 e 41 anos, foram presos.

Conforme o delegado Rafael Allemand, diretor do DRCO, as investigações iniciaram há cerca de dois meses, após as equipes policiais receberem informações sobre uma organização criminosa que realizava o transporte de entorpecentes de Santa Isabel do Rio Negro (a 630 quilômetros da capital) para Manaus.

“Fizemos o levantamento das informações e constatamos se tratar de cerca de 8 pessoas. No domingo (07/11), efetuamos diligências e localizamos um sítio no Rio Negro, onde encontramos, inicialmente, cerca de 100 quilos de cocaína, dois fuzis, uma pistola e um revólver; cinco artefatos explosivos e diversas munições de calibres distintos”, contou o delegado.

Dando continuidade aos trabalhos, nesta sexta-feira (12/11), os policiais cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão, ocasião em que quatro homens foram presos e cerca de duas toneladas de drogas apreendidas.

A organização criminosa conta, ainda, com a participação de dois colombianos. As investigações seguem em andamento para localizar e prender outros indivíduos envolvidos no delito.

“Desde o início dessa gestão, em um ano e oito meses, o DRCO já aprendeu 13,5 toneladas de drogas, 65 armas de fogo, 60 veículos e uma quantia de R$ 3,7 milhões”, pontuou a autoridade policial.

O delegado Juan Valério, coordenador do grupo Fera, relatou que o material ilícito foi encontrado em uma área de mata fechada, onde os policiais utilizaram técnicas de incursão em selva para chegar ao alvo “Conseguimos realizar todas as buscas sem nenhum tipo de problema e com um resultado positivo”, disse.

Os indivíduos irão responder por tráfico de drogas e serão conduzidos à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde permanecerão à disposição da Justiça.

Leia Também