Condenação por homicídio, chacina e prisão: ex-PM preso em Manaus tem ficha extensa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O ex-PM Francisco Marques dos Reis, mais conhecido como Max, um dos suspeitos presos na manhã deste sábado (14) por matar Cleiton Robert Castilho na avenina Itaúba, Jorge Teixeira, foi condenado em 2020 pela morte de um adolescente em Manaus. Max é suspeito de atirar em Cleinton enquanto ele ia para o trabalho, ao lado da esposa, por motivação desconhecida. Em 2015 ele foi preso suspeito de comandar chacina no Santa Etelvina,

O julgamento ocorreu em 2020. A 3.ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus condenou Max por matar André da Silva Souza, e tentativa de homicídio contra Anderson Felipe da Silva e Alexandre da Silva Maquiné. Francisco Marques do Reis a 25 anos e um mês de reclusão, em regime fechado, com a imediata expedição do mandado de prisão.

Vítima de 15 anos

De acordo como inquérito policial que originou a denúncia do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), no dia 16 de novembro de 2016, por volta de 21h30, na rua Acaiaca, bairro Santa Etelvina, zona Norte de Manaus, André da Silva Souza (que tinha 15 anos à época do crime), caminhava ao lado dos amigos quando Francisco Marques, mais conhecido como Max, surgiu na rua acompanhado de mais dois homens. 

Francisco Marques e os colegas começaram a atirar na direção de André, que morreu no local com um tiro na cabeça. Vendo a cena, a segunda vítima, Alexandre Maquiné, que era padrasto de André, correu em defesa de seu enteado e arremessou uma cadeira de plástico contra Francisco Marques, que revidou e disparou mais tiros na terceira vítima, Anderson Felipe da Silva. Em seguida, Francisco Marques e seus comparsas saíram em fuga, correndo pela rua, mas Francisco Marques ainda virou duas vezes para trás, disparando mais quatro tiros contra as vítimas. 

Segundo a denúncia, o crime foi executado a mando de Antônio Edcarlos de Oliveira (que ainda será julgado), que teria uma desavença com André da Silva Souza, o qual seria usuário de drogas e frequentemente criava confusão no bar que Edcarlos é dono, além de cometer furtos na área.

CHACINA

Em 2015 Max foi preso suspeito de comandar um grupo de extermínio. Na época ele foi acusado de matar Edney Souza dos Santos, 19, Denilson Lobo Rodrigues, 19, Ivan Teixeira Pessoa, e Keitiane Nunes Galdino, 26, foram assassinadas na rua 1, comunidade Novo Milênio, no bairro Santa Etelvina, zona Norte, por conta do tráfico de drogas.

A prisão deste sábado ocorreu logo após o crime da Itaúba. Ele e o comparsa foram levados para o 14º DIP.

Leia Também