Caso Silvanilde: Polícia investiga vida íntima de vítima e faz a 3ª perícia no local do crime

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A Polícia Civil do Amazonas realizou, na noite desta quinta-feira (26), uma nova perícia no prédio e apartamento onde a diretora da 15ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT-11), Silvanilde Ferreira Veiga, de 58 anos, foi assassinada a facadas no último sábado (21). A polícia investiga ainda a vida pregressa da vítima para identificar possíveis motivações para o crime.

Mais de 10 pessoas já foram ouvidas, entre elas, a filha Sthephanie Veiga e o genro, Igor Gabriel Melo e Silva. Só o depoimento do casal, cada um, foram longas cinco horas. Eles eram as pessoas mais próximas à vítima e foi a filha quem encontrou o corpo.

A polícia da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) ainda investiga amigos, se a vítima tinha relacionamentos amorosos, desafetos, e tudo que possa ajudar na elucidação do crime.

Na noite desta quinta-feira foi realizada a terceira perícia no local do homicídio. Os peritos fizeram uma varredura no local e usaram a substância química luminol, capaz de detectar manchas de sangue.

A ideia é traçar o caminho realizado pelo assassino, ainda contando com as imagens do circuito interno de segurança do condomínio. Uma reconstituição do crime, mais pra frente, também não é descartada.

Ainda nesta quinta-feira a DEHS recolheu mais de 10 aparelhos com as imagens do local. No entanto, o hall do apartamento da vítima não há câmeras.

A polícia ainda aguarda o laudo oficial da morte, que deve apontar o horário em que ela foi assassinada.

Leia Também