Amazonas é alvo de operação da PF contra abuso sexual infantil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Aqui em Manaus duas pessoas foram alvo por propagar material de abuso sexual infantil. A operação acontece em outros estados brasileiros

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (3), a Operação Lobos II, que mira duas pessoas envolvidas em um grupo criminoso que usava a darkweb para propagar material de abuso sexual infantil em Manaus e em outros estados do Brasil e outros países.A operação está sendo realizada com o cumprimento de 104  mandados de busca e apreensão e 8 (oito) mandados de prisão preventiva, distribuídos em 20 Estados e no Distrito Federal.

Investigações

Segundo a PF, o caso foi descoberto em 2016 com a cooperação entre forças policiais de diversos países. Os criminosos atuavam de forma organizada e tinha até funções específicas dentro do esquema  (arregimentadores, administradores, moderadores, provedores de suporte de hospedagem, produtores de material, disseminadores de imagens, dentre outros) com a finalidade de produzir e realizar a difusão de imagens, fotos e comentários acerca de abuso sexual de crianças e adolescentes para alimentar a demanda por esse tipo de material.

Cinco indivíduos foram identificados, entre eles de um brasileiro que utilizava a deepweb para hospedar e gerenciar 5 dos maiores sites de abuso sexual infantil de toda a rede mundial de computadores. Os sítios e fóruns da darkweb eram divididos por temática, com imagens e vídeos de abuso sexual de crianças de 0 a 5 anos, abuso sexual com tortura, abuso sexual de meninos e abuso sexual de meninas. 

Os sites eram utilizados por mais de 1.800.000 usuários, em todo o mundo, para postar, adquirir e retransmitir materiais relacionados à violência sexual contra crianças e adolescentes.

A Polícia Federal no Brasil e a união internacional, conseguiu prender o principal responsável pelos sites em uma ação que foi batizada de Operação Lobos.

Na época a operação não foi divulgar para não atrapalhar as prisões de produtores e consumidores deste tipo de material criminoso e o resgate de crianças vítimas em todo o mundo. Ainda, em sigilo a ação permitiu a identificação e localização de dezenas de indivíduos no Brasil envolvidos com a produção e divulgação do conteúdo.

A Polícia Federal ressalta que o objetivo da Operação Lobos II, para além da identificação e prisão de abusadores sexuais e de consumidores, visa a localização e o resgate de crianças que se encontram em situação de extrema violência.

Os  crimes investigados na Operação LOBOS II são a venda, produção, disseminação e armazenamento de Pornografia Infantil (Arts. 240, 241, 241-A e 241-B do ECA) e estupro de vulnerável (217-A do CPB), sem prejuízo de outros que possam surgir com a continuidade das investigações.

Leia Também