Órgãos iniciam fiscalização em frente ao CMA para interromper irregularidades de manifestação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A Justiça Federal determinou e na manhã desta quarta-feira (16) órgãos públicos estaduais, municipais e federais estiveram em frente ao Comando Militar da Amazônia (CMA) fiscalizando a manifestação de bolsonaristas que pedem intervenção militar e questionam o resultado das eleições.

Agentes do Conselho Tutelar, Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), Instituto de Mobilidade Urbana (IMMU), e a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) estiveram presentes tentando negociar o fim de irregularidades apontadas pela justiça.

Até o momento, a abordagem tem sido pacífica, apesar de vídeos mostrarem alguns manifestantes filmando a ação e reclamando, chamando alguns agentes de vagabundo e ainda debochando.

Os pais foram orientados pelo Conselho a não levarem os filhos. O IMMU também ordenou a retirada de carros parados na ciclovia que estavam obstruindo a vida.

A PM está dando apoio em todas as abordagens a fim de proteger tanto os manifestantes quanto os agentes públicos.

Na decisão da juíza Jaíza Fraxe, expedida nesta terça-feira (15), foi ordenado imediatamente as providências. Ela pediu ainda a identificação de possível furto de energia elétrica, a interrupção do som acima dos decibéis permitidos, entre outras.

Leia Também