Publicidade

OAB quer expulsão de policial civil envolvido na briga que acabou em agressão e tiro em Manaus

Facebook
Twitter
WhatsApp

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Amazonas (OAB-AM), por meio do Sistema de Prerrogativas, vai pedir a exoneração do policial civil Raimundo Nonato Machado. De acordo com a Ordem, ele é responsável pelo tiro na perna que atingiu o advogado Ygor de Menezes Colares, no Life Ponta Negra, ontem (18), durante a briga da esposa do policial, Jussana Machado, que agrediu uma babá e atirou na perna de Ygor.

ADVERTISEMENT

De acordo com o presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas e Valorização da Advocacia da OAB-AM, Alan Johnny, o caso não passará impune. “O policial civil assinou o TCO, pelo crime de lesão corporal e por ter entregado uma arma de fogo para uma pessoa não habilitada e pelos crimes responderá em liberdade. A OAB vai encaminhar à corregedoria da Polícia Civil um pedido de afastamento cautelar e exoneração”, disse.

O representante da  OAB diz que  “ao tentar apartar a agressão contra a babá do seu filho, Ygor foi agredido por socos e ataques pelo Policial Civil, e em seguida foi surpreendido pela agressora, identificada como Jussana Machado, que utilizou a arma de fogo do policial para disparar mesmo após o advogado estar caído no chão”.

O Presidente da OAB-AM, Jean Cleuter Mendonça, disse que “a OAB, por meio de seu sistema de prerrogativas, será firme e incansável no acompanhamento do caso. Não podemos permitir que esse tipo de violência fique impune”.

Já a defesa afirma que o disparo foi acidental e tudo não passa de uma briga de vizinhos. Jussana foi presa, mas o marido, que aparece alterado, mandando ela bater na babá, e depois dando a arma para ela atirar no advogado, assinou apenas um TCO.

Veja:

 

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!