Publicidade

Nepotismo cruzado: filha de Plínio Valério ganha quase R$ 10 mil em gabinete de Alberto Neto

Facebook
Twitter
WhatsApp

O Portal da Transparência revelou que Camila Valério Tomaz Soares, filha do senador Plínio Valério (PSDB), foi nomeada como secretária parlamentar do deputado federal Alberto Neto (PL). A ação pode caracterizar-se nepotismo cruzado. Quando um funcionário público contrata parente de outro em troca de favores. O salário é de R$ 9.639. Os dois são bolsonaristas.

ADVERTISEMENT

Não se sabe se Camila realmente desempenha seu papel como assessora no gabinete do deputado, pois sua presença não está evidente em Brasília ou em seu escritório em Manaus.
Ainda segundo o portal, Camila é servidora do deputado desde 2021, quando chegou inclusive a ganhar uma gratificação natalina no valor de R$ 5 mil.

Nepotismo e nepotismo cruzado

Na maioria das vezes, no Brasil, cargos públicos são ocupados através de concurso público, mas existem também os cargos comissionados, nestes, algumas pessoas são contratadas por meio de parentes. A ação caracteriza-se nepotismo. Agora quando dois agentes públicos contratam parentes um do outro, é nepotismo cruzado.
Geralmente isso acontece em troca de favores de ambas as partes. O que pode ter acontecido com Plínio Valério e Alberto Neto, visto que ambos fazem parte da bancada bolsonarista.

Segundo o Conselho Nacional do Ministério (CNMP), a prática do nepotismo é considerada imoral. Um resolução foi feita afim de evitar que o nepotismo seja ele cruzado ou não aconteça. De acordo com o Supremo Tribunal Federal (STF), ação é um atentado contra os princípios da moralidade.

Não há indícios de Camila, em suas redes sociais, exercendo sua função como secretaria do deputado federal Alberto Neto.

A equipe de reportagem do Estado do Amazonas tentou entrar em contato com o senador Plínio Valério e o deputado federal Capitão Alberto Neto, mas não obteve retorno. O espaço segue aberto.

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!