Motoqueiro recebeu R$ 4 mil para executar homem e PC-AM descarta briga durante trânsito

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira (27), o delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) negou que Haleason de Jesus Silva, de 37 anos, foi assassinado por causa de uma briga de trânsito. Segundo o delegado, o crime foi encomendado por R$ 4 mil.

O pistoleiro, Marcelo de Brito, de 24, o “Cubiu” foi apresentado e assumiu a autoria. Ele disse que foi contratado como matador de aluguel e recebeu a quantia para executar o crime. O mandante seria Marco Antonio Nascimento da Silva, de 26 anos, o “Pipoca”, que ainda não foi preso.

De acordo com o delegado, a motivação de briga de trânsito foi descartada e a polícia tem outra linha de investigação. No entanto, a mesma não foi informada. Ricardo Cunha disse que Haleason não tinha vida criminal, trabalhava no Tarumã e não possuía problemas com vizinhos e a família.

Cubiu confessou o crime e foi preso nesta quarta-feira (26) com a moto usada no dia. Ele se disfarçou de entregador e disse que foi levado por Pipoca até o local onde a vítima estaria. Depois disso, ele executou o plano e recebeu o pagamento.

A DEHS ainda investiga o mandante do crime e tenta esclarecer a motivação. Cubiu foi autuado em flagrante por homicídio.

Leia Também