Mobília milionária, briga com prefeito e suspeita de plágio: Roberto Cidade tenta reeleição na Aleam

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas por dois anos, o deputado Roberto Cidade é o personagem desta quarta-feira (14) da série Raio-X  da Política no Amazonas, uma parceria dos sites expressoam.com e estadodoamazonas.com  Com uma gestão marcada por críticas e gastos, o parlamentar está na capital e no interior pedindo votos.

MÓVIES NOVOS E CAROS

Cidade teve em sua gestão um registro que chamou a atenção em todo o Brasil. Em plena crise econômica casada pela pandemia, resolveu trocar a mobília da Aleam.

Empenhou mais de R$ 9.389.228 para comprar móveis diversos. A ata de registro de preço teve mais de 100 itens, alguns, inclusive, com valores estranhos, como por exemplo, uma lixeira de R$ 3.700.

No mesmo período os servidores cobravam reajuste de salários e eram ignorados.

As empresas RICARDO TAKASHI YAMASHITA – EPP (TECHLINI) e MOBILE COMÉRCIO DE MÓVEIS EIRELI venceram  o pregão eletrônico 09/2021 para a aquisição e instalação de material permanente como mobiliário convencional, mobiliário modulado, divisórias, assentos, persianas e cortinas.

A lixeira do tipo cesto cilíndrico, com diâmetro 395 mm e altura 789 mm vai custar à Aleam em torno de R$ 3.700,00, sendo que, quatro lixeiras deste mesmo tipo constam no registro, ou seja, somente nesse item será gasto o valor de R$ 14.800,00.

Uma floreira – vaso usado para armazenar plantas também ganhou destaque. O item aparece pelo menos quatro vezes no documento com descrições diferentes e deve ser adquirido por valores que variam entre: R$ 4.140,00 até R$ 7.300,00.

Se considerada a quantidade de 18 floreiras prevista no documento, Roberto Cidade decidiu gastar  R$ 110.100 para adquirir apenas o item de jardinagem.

O edital reúne outros itens como mesas, cadeiras de escritório, armário para armazenamento de comidas, armários de escritório e estações.

E AS FALTAS?

Alvo de críticas da população e dos próprios deputados, o excesso de faltas na Casa foi outro ponto que virou contra Cidade em sua gestão.

O deputado se esquivou durante as sessões e jamais topou criar um mecanismo que punisse os faltosos.

Por vezes os próprios deputados reclamaram a ausência dos colegas, que precisam estar em plenário apenas ‘as terças, quartas e quintas.

Tivemos um trabalho normal, acredito que todos os deputados sabem do seu dever. Irei conversar com eles, mas ainda não é um motivo para tomar uma atitude extrema dessa forma, tendo em vista que os deputados vêm aqui terça, quarta, quinta, também vêm outros dias. Tem deputado que sai daqui 22h”, defendeu.

PROJETO E CÓPIA DE ESTUDANTE

Outra polêmica caiu nas costas de Cidade durante sua gestão. Foi acusado de copiar um projeto de um estudante.

O projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que trata da criação da “Semana Lixo Zero”, a ser celebrada anualmente na última semana do mês de outubro, de autoria do presidente da Casa, deputado Roberto Cidade (PV), levou a marca do plágio.

A justificativa usada pelo parlamentar no texto da proposta parece ter sido copiado de uma estudante. Durante  pesquisa realizada em um site de busca, ficou constatado que a defesa do projeto é igual a de uma redação de uma aluna, disponibilizada em uma plataforma de compartilhamento de conhecimento para estudantes e especialistas.

Em um dos trechos da justificativa do projeto de Cidade, é possível perceber que um parágrafo da redação foi copiado na íntegra. ” Trata-se de um problema crescente, e ainda sem resultados definitivos, pois mesmo as políticas de reutilização e reciclagem de produtos são dirigidas pelo mercado, que também cria “tecnologias descartáveis” destinadas ao recebimento e manejo dos materiais descartados pelos consumidores.”

Cidade nunca confirmou e nem negou a coincidência.

SOCO NO INTERIOR

Acusado de difamar o prefeito de Borba, Roberto Cidade se envolveu em mais uma polêmica, em pela campanha. Levou um soco do prefeito de Borba, 8 meses após xingar o Simão Peixoto ano passado, quando a Aleam decidiu entrar uma medalha ao político.

“Foi quando então encontrei o deputado estadual Roberto Cidade, este cidadão que muitos estão defendendo, mas não conhecem de fato o que vem acontecendo”, disse Peixoto.

De acordo com Peixoto, há tempos Cidade o difama pelas redes sociais, palanques e outros lugares, falando inverdades porque não apoiou o deputado no pleito de 2018. O prefeito alega que Cidade nunca tentou solucionar o que ele tem contra a pessoa de Peixoto.

Cidade resgitou um B.O. e segue em campanha, ignorando todas as polêmicas e pedindo mais quatro anos de mandato ao povo.

Leia Também