Menino que desapareceu em Manaus e ‘apareceu’ em São Paulo pesquisou na internet como embarcar sem ser percebido

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
O menino disse que agiu sem a ajuda de nenhum adulto e assim, conseguiu despistar todos no aeroporto de Manaus.

O pequeno Emanuel Marques de Oliveira, de 9 anos de idade, driblou agentes federais e funcionários da empresa aérea Latam para realizar o sonho de ir para São Paulo. Ele conseguiu embarcar no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes com destino ao Aeroporto de Guarulhos (SP) e disse ter agido sem a ajuda de adultos.

No último sábado (26), a mãe do menino compareceu na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) para registrar o desaparecimento do filho. A imagem dele chegou a ser divulgada pela polícia até que a família recebeu a notícia de que Emanuel estaria em São Paulo, por meio de uma ligação da empresa aérea Latam.

A mãe do menino então entrou em contato com a Depca informando que o filho tinha sido localizado no Aeroporto de Guarulhos. Em nota, a Polícia Civil informou que a companhia aérea em São Paulo entrou em contato, após perceber que se tratava de um menor desacompanhado, e o enviou de volta para Manaus. A polícia solicitou imagens de câmeras de segurança do aeroporto.

Após os trâmites legais, o menino retornou para Manaus na manhã desse domingo (27). Já na capital amazonense a criança disse aos policiais que agiu sozinha, pois tinha o sonho de morar em São Paulo.

Questionado sobre como conseguiu embarcar, ele disse que já tinha pesquisado na internet “como entrar em um avião despercebido” e que seguiu todas as dicas. “Ele me disse que pegou alguns ônibus aleatórios aqui de casa até chegar no aeroporto. Depois olhou no painel o horário dos voos, e entrou em um deles. O meu filho passou por três vistorias sem que alguém notasse que ele estava sozinho, sem documentação nem bilhete de embarque”, contou a mãe do menino.

Segundo a polícia, a criança não tem histórico de violência familiar.

Leia Também