Marido matou esposa porque professora não aceitava o vício dele em álcool e drogas, diz delegado

Facebook
Twitter
WhatsApp

Segundo o delegado Paulo Mavignier, diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), o vício em drogas e álcool foi o que motivou Francisco Jean da Silva Veiga, 46, a matar sua esposa, a professora Alcione Batista Barbosa, que tinha 40 anos. O crime ocorreu no domingo (09/04), na comunidade Bairro Alto, em Manicoré (a 332 quilômetros de Manaus).

De acordo com Mavignier, Francisco e Alcione eram casados, mas estavam passando por desentendimentos em decorrência de vício de álcool e drogas. A professora não aceitava mais a dependência química do criminoso.

“No dia do crime, ele chegou em casa pela madrugada sob efeito de bebidas alcoólicas e entorpecentes. Ambos discutiram e ele passou a estrangular a vítima, que bateu a cabeça e ficou desacordada. Ele pensou que ela havia morrido, e pegou sua embarcação, atravessou o rio, e jogou o corpo dela ali próximo”, explicou Mavignier.

Conforme o delegado Mateus Imperatriz Moreira, que está lotado no DPI e foi designado para conduzir as investigações em torno desse crime, o autor ainda tentou esconder os vestígios do delito que haviam na casa dele, no momento em que a equipe policial esteve lá, mas sem sucesso.

“Além de vestígios na casa onde eles moravam, também havia indícios na embarcação que ele usou para levar o corpo e jogar no rio. A perícia constatou a morte dela por afogamento”, disse o delegado.

Francisco foi preso na quarta-feira (12) e recambiado nesta quinta (13), por volta das 13h, para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), em Manaus onde ficará à disposição da Justiça.

Leia Também