Venezuelana foi morta possivelmente porque assassino queria dinheiro que ela guardava, diz polícia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A Polícia Civil informou que a venezuelana Yeimy Yenileth Vargas Rodrigues, de 27 anos, foi morta possivelmente porque queriam roubá-la. Ela morreu a facadas na última terça-feira (5), numa quitinete na avenida Rio Negro, bairro Mauazinho, Zona Leste.

De acordo com o delegado Cristiano Castilho, do 14º Distrito Integrado de Polícia (DIP), a principal linha de investigação é que a motivação do crime poderia ser o interesse do assassino no valor que a vítima comentava que estava guardando. O dinheiro seria usado para buscar a filha dela na Venezuela.

Nada foi levado, mas a casa estava toda revirada, informou o delegado. A suspeita é que o criminoso teria entrado na casa já ciente do dinheiro que a mulher possuía e exigiu o valor. Sem sucesso, eles brigaram e Yeimy acabou esfaqueada.

Vizinhos encontraram a vítima sem vida e ensanguentada por volta das 13h, após ouvirem barulhos no local.

Eles ficaram chocados com o crime e informaram que ela não possuía nenhuma relação com crimes e só queria retomar a vida no Brasil. A venezuelana passava o dia em casa enquanto o esposo trabalhava fora.

A casa ficou cheia de pegadas de sangue do assassino. A Polícia Civil ainda investiga o crime e a autoria.

Leia Também