Patrocinadores abandonam programa de Sikêra Jr. após ataques homofóbicos: ‘Raça desgraçada’

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Sikêra Júnior está pagando caro pelo festival de ofensas que desferiu gratuitamente em seu programa contra a comunidade LGBTQAI+. Hapvida, MRV e TIM anunciaram que não vão mais patrocinar nenhuma ação com o apresentador falastrão, por não concordarem com preconceito. O rei na barriga de Sikêra agora vai doer no bolso dele. “Raça desgraçada”, disparou.

“Não apoiamos forma alguma de preconceito, seja social, de credo, raça, gênero ou orientação sexual. No momento, suspendemos o patrocínio do Alerta Amazonas. Estamos sempre trabalhando por uma sociedade mais saudável”, respondeu o Hapvida.

“Desde a semana passada, realizamos a suspensão da veiculação, que é automática pela plataforma de anúncio, nesse canal. Reforçamos que a Tim mão está ligada a movimentos, nem compactua com disseminação de notícias falsas e discursos de ódio”, ressaltou a TIM.

“A MRV acredita na diversidade e não compactua com qualquer forma de preconceito. O programa Alerta Amazônia/Nacional já não faz mais parte dos nossos planos de mídia”, disse a empresa em nota.

Sikêra disse na semana passada que ganha só de salários 500 mil reais por mês. Nas redes sociais a fala do apresentador está causando uma onda de revoltas. Acostumado a fazer piada com mortes, gays e até com os próprios colegas, agora o jogo virou. “A criançada está sendo usada. Um povo lacrador que não convence mais os adultos e agora vão usar as crianças. É uma lição de comunismo: vamos atacar a base, a base familiar, é isso que eles querem. Nós não vamos deixar.”

Leia Também