Jornalista Cleo Pinheiro relata momentos de pânico após turbina de avião pegar fogo: ‘achei que ia morrer’

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
O avião tinha acabado de decolar e passou cerca de 45 minutos voando após uma das turbinas pegar fogo. Ele precisou fazer um pouco de emergência.

Passageiros do voo da Azul AD2649, que tinha como destino a cidade de Recife (PE) viveram momento de pânico após o avião que estavam precisar retornar para o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e fazer um pouso de emergência depois que uma das turbinas do avião pegar fogo. O acidente ocorreu na madrugada desta segunda-feira (10) e entre os passageiros estava a jornalista Cleo Pinheiro.

O problema ocorreu logo depois que a aeronave decolou e segundo a jornalista, foi percebido por ela ao olhar pela janela e ver o fogo saindo da turbina direita. “Fique paralisada. Começou o desespero, o fogo aumentou um pouco e depois foi diminuindo, aí passou um tempo e o piloto falou com os passageiros informando que havia tido um problema na aeronave e que retornaríamos para o aeroporto de Manaus. Isso durou ainda uns 45 minutos até ele conseguir pousar”, relatou.

A jornalista contou que a primeira pessoa a ver o fogo foi outra passageira, que gritou para alertar as aeromoças. A partir daí, o pânico tomou conta de todos, que choravam desesperados. No voo havia crianças, idosos e famílias inteiras.  “Eu estou grata a Deus porque eu realmente achei que ia morrer, achei realmente que era o fim”, desabafou. 

Após retornar ao aeroporto de Manaus a aeronave pousou e ninguém ficou ferido. Após o acidente, os passageiros foram acomodados em outros voos  da Azul para embarcarem para seus respectivos destinos nesta segunda-feira.

Em nota, a Azul informou que por questões técnicas o voo em questão precisou retornar e que prestou assistências aos passageiros. “A Azul esclarece que, por questões técnicas, o voo AD2649 (Manaus-Recife) precisou retornar ao aeroporto de origem nesta madrugada, 10. A companhia ressalta que prestou toda a assistência necessária a seus Clientes, conforme previsto na resolução 400 da Anac, e os reacomodou nos próximos voos da companhia partindo de Manaus. A Azul lamenta eventuais aborrecimentos causados e reforça que medidas como essas são necessárias para garantir a segurança de suas operações”.

Veja o relato da jornalista:

Leia Também